Destaque »

CBMM amplia área de atuação e anuncia criação do Centro de Matéria Prima para Turbinas de Avião em Araxá

14 de dezembro de 2018 – 11:13 |

A direção da empresa CBMM, realizou na noite da última terça-feira, dia 11 de dezembro, no ‘Clara Rosa Eventos’,  a tradicional reunião de confraternização com profissionais e diretores de organismos de imprensa da cidade de …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Estudante araxaense é escolhido para participar de projeto da NASA

O jovem estudante araxaense Vinícius Andrade Borges tem 23 anos e atualmente cursa o sétimo período de Engenharia de Automação do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG),  em Araxá, mas desde agosto do ano passado, mora no Colorado, nos Estados Unidos, onde participa do programa Ciências Sem Fronteira, chancelado pelo Governo Federal. Mas  recentemente, outro projeto estudantil  agitou a carreira escolar  do jovem  Vinícius,  quando ele foi  selecionado  para desenvolver  um projeto no Laboratório de Propulsão a Jato (Jet Propulsion Laboratory) da Agência Espacial Norte Americana (NASA), junto com um renomado cientista brasileiro, Daniel Nunes. Esta semana, a reportagem do JORNAL INTERAÇÃO conversou, com exclusividade, com Vinícius, que contou detalhes de sua carreira estudantil na América e a realização do sonho de poder participar de um programa inédito e especial na National Aeronautics  and Space Administration – Administração Nacional da Aeronáutica e do Espaço (NASA). A NASA é uma agência do governo dos Estados Unidos da América responsável pela pesquisa e desenvolvimento de tecnologias e programas de exploração espacial. Sua missão oficial é “fomentar o futuro na pesquisa, descoberta e exploração espacial”. A NASA  foi criada em 29 de julho de 1958, e foi responsável pelo envio do homem à Lua [veja projeto Apollo] e por diversos outros programas de pesquisa no espaço. Atualmente ela trabalha em conjunto com a Agência Espacial Europeia, com a Agência Espacial Federal Russa e com mais alguns países da Ásia e do mundo todo para a criação da Estação Espacial Internacional. A NASA também tem desenvolvido vários programas com satélites e com sondas de pesquisa espacial que viajaram até outros planetas e até, alguns deles, preparam-se para sair do nosso sistema solar, sendo a próxima grande meta, que tem atraído a atenção de todos, uma viagem tripulada até o planeta Marte, nosso vizinho.

Dados pessoais e referências do Colorado:

Vinícius Andrade Borges, 23 anos, natural de Araxá, é filho de Gilson Duarte Borges e de Silvana Mara Andrade Borges. Ele cursou o ensino médio no Colégio Dom Bosco, fez curso técnico em eletrônica pelo Cefet de Araxá,  fez o curso de Piloto Comercial e Instrutor de Voo de aviões pelo Aeroclube de Araxá e está se graduando em Engenharia de Automação pelo CEFET-MG Campus IV Araxá-MG. Hoje ele reside na cidade americana de Colorado Springs, que é  a segunda maior cidade do estado do Colorado, nos Estados Unidos. Uma cidade cuja população é estimada de 439.886 habitantes e a economia é impulsionada principalmente pelos militares, indústria de alta tecnologia e turismo. Grande parte do segmento industrial é dedicada ao desenvolvimento e operação de projetos relacionados a sistemas antimísseis. Boeing, General Dynamics, Lockheed Martin e Northrop Grumman são algumas das corporações de defesa significativas na cidade. Ele diz que “estou atualmente estudando na University of Colorado, Colorado Springs (UCCS)  e cursando matérias relacionadas à Engenharia Aeroespacial, Engenharia Mecânica e Alemão. Os laboratórios da Universidade são fantásticos e modernos, possuem uma grande aparelhagem e infraestrutura de ponta, permitindo, por exemplo, simulações aerodinâmicas em túneis de vento. Os professores são atenciosos e visam principalmente à consolidação do aprendizado por parte do aluno e, para isso, estimulam trabalhos em grupo, fomento a projeto e pesquisas e muitas tarefas para casa, chamados aqui de homework.” Ainda segundo Vinícius, “nos feriados escolares, meus amigos e eu costumamos viajar pelo território americano com o objetivo de conhecer novos lugares. A infraestrutura e a qualidade do pavimento das rodovias americanas oferecerem segurança e conforto aos motoristas e, juntamente com o preço barato do combustível, a viagem por terra se torna viável. Já conheci várias cidades por terra, tais como Denver, Los Angeles, Las Vegas, San Diego, Long Beach, Santa Fé e vários parques nacionais como, por exemplo, o Gran Canyon National Park, no Estado do Arizona.  É muito comum por aqui se ver carros considerados luxuosos no Brasil mas que aqui são considerados populares, e claro, com preços bastante acessíveis.”

O Projeto NASA:

Foi com muita alegria e entusiasmo que o estudante araxaense revelou à reportagem do JORNAL INTERAÇÃO que “no final de maio, estarei de mudança para Pasadena, distrito de Los Angeles, Califórnia, onde passarei uma temporada realizando um projeto de pesquisa no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA (Jet Propulsion Laboratory). Essa oportunidade primeiramente surgiu quando me interessei por alguns artigos científicos relacionados à provável vida e existência de água no planeta Marte. O Ciência sem Fronteiras estabelece que, durante o verão, os alunos vinculados ao programa procurem por alguma oportunidade de estágio ou pesquisa. Então, certo dia, decidi procurar por alguma oportunidade no website da Agência Espacial Nacional Norte-americana (NASA) e navegando por lá, percebi a existência de um renomeado cientista brasileiro por trás de um grande projeto. Decidi, então, contactá-lo, e inicialmente ele apenas solicitou alguns dados pessoais e acadêmicos, e tempo depois, meu currículo. Após análise dos meus dados, ele me aprovou e me convidou para fazer parte de seu projeto, o qual será o modelamento  de dados e sinais via MATLAB, obtidos através da nave espacial multiuso chamada Mars Reconnaissance Orbiter (MRO) que se encontra atualmente na órbita do planeta Marte.  O MRO contém uma série de instrumentos científicos, tais como câmeras, espectrômetros e radar, que são usados para analisar o relevo, estratigrafia, minerais e gelo de Marte. Ele abre o caminho para futuras naves espaciais, monitorando as condições diárias do tempo e da superfície de Marte, estudando possíveis locais de pouso e hospedagem de um novo sistema de telecomunicações, sistema o qual irá transferir mais dados para a Terra do que todas as missões interplanetárias anteriores combinadas. Além disso, o MRO vai servir também como um satélite de retransmissão de dados fundamental para futuras missões.” E a empolgação de Vinícius só aumenta quando fala dos objetivos. “Meus principais  objetivos na NASA serão adquirir e ampliar conhecimentos em engenharia, tecnologia e ciência. O Laboratório de Propulsão a Jato da NASA é um dos maiores centros de tecnologia do mundo e uma referência em inovações em diversas áreas do setor tecnológico. Este projeto irá me projetar em contato direto com grandes cientistas renomados. Esta será uma oportunidade incrível para que eu possa consolidar todo o conhecimento adquirido até então e colocá-lo em prática. Será uma grande responsabilidade, porém com muito prazer irei representar minha instituição, o CEFET de Araxá, na NASA.” Finalizando a entrevista, ele disse que “a  parte ruim do intercâmbio é a saudade de casa e das pessoas queridas que me cercam. Os costumes aqui são diferentes, principalmente os que envolvem alimentação. Tenho saudade da comida caseira dos meus pais e de algumas frutas tropicais que são muito caras aqui e que não possuem a mesma qualidade se comparadas às do Brasil. O clima do Brasil é inigualável e estável. Já aqui, tem dias  que saio para a Universidade, pela manhã, nevando e volto à tarde com 25°C, muito imprevisível. As pessoas aqui, em sua grande maioria, são acolhedoras e amigas. Meu objetivo ao retornar ao Brasil será completar o curso de graduação em Engenharia de Automação e logo após procurar alguma oportunidade no setor. A minha prioridade é me tornar piloto de linha aérea de alguma companhia brasileira de aviação. Sempre foi um sonho e não vejo a hora de alcançá-lo. Creio que o conhecimento adquirido durante o intercâmbio e a graduação irão ser fundamentais e decisivos nos meus planos futuros. As aeronaves comercias atuais são praticamente 100% automatizadas, e o curso de Engenharia de Automação me permite uma visão mais aprofundada do que se passa por trás de todos os sistemas envolvidos em uma aeronave”, concluiu.