Destaque »

Aracely proibe por Decreto a vinda de trabalhadores temporários para Araxá

30 de Maio de 2020 – 5:42 |

No “Programa Bom Dia Prefeito”, da última sexta-feira, 29 de maio, a Administração Municipal informou porque é contra a vinda de trabalhadores temporários para a execução de manutenção industrial em uma mineradora da cidade. O prefeito …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

“Araxá vai pra rua”

Cidade se mobiliza para ato pacífico contra a corrupção no domingo

Entenda  a origem do movimento:

O próximo domingo, dia 15 de março de 2015, promete ser um dia diferente e com muita manifestação na maioria das cidades brasileiras. O motivo é um protesto pacífico,   popular que  nasceu nas redes sociais, ganhou força entre milhões de brasileiros que estão indignados com a atual situação de crise econômica e política do Brasil. Batizado com o nome de “ Movimento Contra a Corrupção”, as manifestações Brasil a fora, têm dia e locais definidos. Faltando dois dias para a realização do protesto que promete sacudir o País, vários setores constituídos, organizações não governamentais, partidos políticos, sindicatos, grandes empresários, políticos e entidades de classe, apóiam a causa que no início era apartidária. A mobilização nacional foi abraçada também pelo “Movimento Brasil Livre (MBL, é  uma entidade apartidária que visa a mobilizar cidadãos em favor de uma sociedade mais livre, justa e próspera ) , que pretende tornar a manifestação pacífica do próximo domingo em ato popular para reivindicar o impeachment da presidente da república Dilma Rousseff.   Até o fechamento desta edição de acordo com os números apurados pela empresa “Bites”, especializada em gestão de repercussão online, um milhão de usuários confirmaram a participação em 37 eventos contra o governo federal.  A indignação popular que se materializou  na convocação geral do cidadão brasileiro para o ato pacífico do dia 15 de março, se resume num conjunto de motivos: a  constatação de que os valores da sociedade apresentam diversas distorções: corrupção em todos os níveis nacionais; irresponsável busca de atingir interesses pessoais, sobrepujando, em quase todas as escalas, o interesse da coletividade; os fins justificando os meios; os direitos das minorias prevalecendo sobre os da maioria; e a imposição do ‘politicamente correto’ em detrimento do livre pensar e falar.

Araxá também vai protestar:

Mesmo que de forma tímida e sem muito alarde, várias pessoas de Araxá prometem ir para as ruas no domingo vindouro para se manifestar pacificamente. Alguns cartazes foram afixados em pontos comerciais,  locais de movimento intenso e pontos de ônibus. O panfleto,  sem registro de movimento ou liderança constituída, apenas convoca a população local para a concentração popular no dia 15 de março de 2015, a partir das 15:00 horas no largo da praça da Igreja Matriz de São Domingos de Araxá. O JORNAL INTERAÇÃO, ouviu dois estudantes universitários de Araxá, que estão ajudando na mobilização da comunidade local, por meio das redes sociais e com panfletagem com a intenção de fortalecer o protesto do próximo domingo. Com a condição e garantia de não terem as identidades reveladas, os jovens estudantes contaram que, “ já estava passando da hora do povo de bem dar um grito de basta nessa situação corrupção envolvendo políticos, gestores públicos, empreiteiros e criminosos do colarinho branco no Brasil. A crise política, financeira e social que assola nosso País, é reflexo da incompetência de gestão administrativa da classe política e do governo federal, especificamente da Presidente Dilma” . Sensatos e politizados os estudantes, revelaram a realização do movimento em Araxá, também nasceu por meio das discussões sobre o tema nas redes sociais. “ A gente, que é jovem, tem que defender e ajudar a construir um Brasil  melhor para o futuro. Nossa manifestação é pacífica, não tem vínculo com nenhuma agremiação partidária, ONG, empresa, sindicato e nem com político. Queremos que as pessoas de bem de Araxá,  que estão indignadas com a atual situação de crise, corrupção, falta de segurança, inflação, desemprego, saúde na UTI e alto índice de insegurança e criminalidade, possam e venham somar com a gente no próximo domingo a partir das 3 horas da tarde, lá na porta da Igreja Matriz. Se puderem venham com as cores da bandeira do Brasil, de luto ( preto), pintem  a cara, usem o branco da paz no corpo e também no coração. Será um ato de protesto, mas de muita paz.”

Políticos,  autoridades, sindicatos e entidades dão sua opinião sobre o movimento pacífico:

Esse momento delicado, a crise econômica, política e  administrativa que vive o Brasil, também afeta drasticamente  a vida do trabalhador araxaense  e todos os setores que movimentam a economia do município.  A reportagem do JORNAL INTERAÇÃO, repercutiu o tema junto a lideranças de classe, políticas, sindicais e empresarias de Araxá.

Para o prefeito de Araxá Aracely de Paula, o momento do País, é delicado e o povo está sofrendo com essa crise que começa  a atingir o brasileiro, principalmente o trabalhador. “ Temos que ter muita responsabilidade  nessa hora, trabalhar sério, desenvolvendo  ações pontuais de interesse social e coletivo, para espantar a crise e ofertar serviços, oportunidades e qualidade de vida para nossa gente.”  Sobre a manifestação popular de protesto contra o governo federal programada para o próximo domingo em Araxá e todo Brasil, o prefeito, disse que, “ quando o povo se mobiliza e se manifesta é porque alguma coisa não está funcionando bem. Sou amplamente a favor de atos pacíficos e protestos populares,  que visam reivindicar e cobrar ações concretas dos gestores públicos. A democracia, garante esse direito a todo cidadão, desde que os protestos sejam pacíficos e ordeiros”, finalizou o prefeito de Araxá.

Gilson Santos, líder estudantil e representante  do  PSOL, em Araxá, disse que é totalmente a favor do ato de protesto e que vai para as ruas na tarde do próximo domingo  protestar  contra  o governo da presidente da república. Bastante indignado com a situação crítica que passa o País,  Gilson fez um desabafo; “ eu quero deixar claro, que fui eleitor da Dilma, porque eu tenho certeza que o Aécio, seria pior que ela. No entanto,  em função do caos e da crise que estamos passando, hoje não tem jeito mais de defender “essa mulher” ( Dilma). A Presidenta e alguns cacíques do partido dela passaram de todos os limites. É claro que tem gente boa, honesta no PT( Partido dos Trabalhadores) eu não posso generalizar.  Mas, falar que não teve corrupção no governo, está tudo certo e não tem crise econômica no País, isso é brincadeira!  A Presidenta Dilma, impôs esse monte de medidas impopulares assaltando o bolso do pobre trabalhador, com inflação lá na lua, gasolina, energia elétrica, cesta básica tudo aumentado, isso vai refletir e afetar o povo. Então, todo mundo tem que ir mesmo para as ruas, protestar, manifestar  contra esse governo incompetente, corrupto e despreparado, que não tem nada mais para oferecer para a população. Só quero lembrar que a manifestação é um direito nosso garantido pela Constituição Nacional, mas é nosso dever manter a ordem e a paz durante o ato”.

O presidente da Acia – Associação Comercial e Industrial de Araxá, Márcio Antônio Farid, disse que,  tudo que está acontecendo no Brasil, é reflexo de uma gestão administrativa desastrada e cheia de falha.  “ Eu acho que mesmo em momentos de crise,  Araxá é uma cidade privilegiada por já estar estruturada e ter ações e projetos que auxiliam no desenvolvimento da comunidade. Enquanto especialistas, técnicos em economia, espelham que a crise nacional deverá ser superada entre 2 e 3 anos, eu acho que em nossa cidade, esse tempo será bem menor”.  Sobre a manifestação popular, prevista para acontecer no próximo  dia 15 de março em todo Brasil e em Araxá, em protesto a atual realidade do País, Farid, disse que, “ sou a favor do protesto, que é legítimo enquanto pacífico. Creio, que essas formas de manifestações populares, de certa forma, são ferramentas importantes que tem o poder de ajudar a transformar cenários e exigir políticas e ações responsáveis por parte da classe política que tem a missão de administrar para o social e coletivo, visando o progresso e desenvolvimento do País.”

O empresário Itamar Machado, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Araxá, que esta viajando em compromissos pessoais, mesmo longe de Araxá,  também atendeu via telefone a reportagem do JORNAL INTERAÇÃO e  se mostrou muito preocupado com a situação econômica do Brasil, que segundo ele também está afetando Araxá. O Presidente da CDL- Araxá,  acha que o momento é muito difícil, principalmente para a classe lojista, a qual ele representa. “ Ainda no início do ano ( em janeiro), a CDL,  prevendo a crise econômica, procurou tomar algumas medidas preliminares no sentido de orientar nossos associados, buscando novos serviços, projetos e ações que têm a finalidade de dar segurança  ao lojista e aos clientes”.  A respeito do movimento do próximo domingo, o Presidente Itamar, disse; “ é legítimo, necessário e feito de forma ordeira e dentro da lei, pode servir de agente transformador para reverter esse cenário preocupante.”

Segundo o vereador do PDT, Carlos Alberto Cachoeira, “ é muito complicado esse momento econômico e social, que passa o nosso País. Enquanto, o governo federal,  ficar preocupado com questões políticas, partidárias eleitoreiras,  a condução administrativa e de gestão social e coletiva do Brasil, vai para o buraco. E hoje eu vejo que é muito difícil mudar esse quadro de crise e decadência instalado dentro de todos os setores sociais da nação. Na minha opinião, como educador e agente político ( vereador), a única maneira concreta e efetiva do cidadão brasileiro, mudar de vez  essa terrível situação  é votar consciente e saber escolher bem seus representantes nas urnas.”  Cachoeira, também comentou sobre o movimento de protesto popular,  que vai ser realizado em Araxá e várias cidades do Brasil  no domingo vindouro. “ Eu sou completamente a favor, apoio, acho que o ato é legítimo e  é uma ferramenta importante do povo, do trabalhador, do cidadão de bem e de todos que estão indignados e sofrendo com a atual crise que se deflagrou no Brasil, nos últimos meses. De forma tranqüila e em paz, o povo deve soltar a voz, desabafar e mostrar para esse governo estabanado e sem norte, que unidos e mobilizados o povo tem um  poder sem limites para a transformação.”

Para o presidente do Sinplato – Sindicato dos Servidores Municipais das Prefeituras, Câmaras e Autarquias  da Micro Região do Planalto de Araxá, José Osvaldo da Silveira,  o momento político e econômico que atravessa o Brasil é delicado. Ele disse que, o Sinplalto, é a favor de uma política trabalhista justa. “Apoiamos todas as  manifestações em apoio aos direitos trabalhistas. Somos  a favor da correção da tabela do Imposto de Renda, da jornada de 40 horas semanais, contra o fator previdenciário  e contra o projeto de lei da terceirização.”  José Osvaldo, ainda falou sobre o protesto popular, organizado para o fim de semana. “ O Sinplato, considera o ato público em protesto ao momento político e econômico que passa o País, legítimo. Ser for voltado para reivindicações de direito e interesse coletivo e social dentro da ordem e da lei, o Sindicato apóia integralmente.”

Preocupado, com a situação complicada e com os rumos que o País pode tomar, se o quadro atual não for revertido, o presidente da Câmara Municipal de Araxá, o vereador Miguel Alves Júnior do PMDB, da capital mineira ( Belo Horizonte), onde estava em missão parlamentar, também por telefone, afirmou que este é um momento muito importante para a definição do futuro do Brasil. “ Eu vejo claramente a mudança que vem acontecendo dia a dia com o povo brasileiro. Depois de anos de silêncio, conformismo e acomodação; reascende em nossa gente a chama da cidadania, da coragem de soltar o seu grito de dor e inconformismo. Isto,  mostra  claramente, que a evolução acontece dia a dia. Por isso vemos nascer da vontade popular, os movimentos sociais e coletivos, em nome de causas fundamentais para a igualdade de direitos  e principalmente pelo respeito ao bem público. Teremos dia 15 próximo, uma manifestação nacional, demonstrando a insatisfação e a vontade de um basta aos absurdos que o País vem enfrentando. Parabenizo e incentivo a coragem e bravura de nossa gente e espero que de forma ordeira, o nosso povo demonstre com toda garra e força, a nossa indignação e os nossos pleitos que são elementares; saúde, vida, educação e o bom uso do suado dinheiro do nosso povo.”

A Promotora de Justiça de Araxá, Dra. Mara Lúcia Silva Dourado, também falou com exclusividade  à reportagem do JORNAL INTERAÇÃO, sobre tema em questão.  Ela disse que, “  o que a gente vê, é um cidadão mais informado e reivindicando seus direitos. Toda manifestação, desde que pacífica, ela tem que ser tolerada e isso é o resultado de um país que exerce a democracia. Eu acho louvável essa atitude do cidadão. E espero que essa manifestação, sirva também para os poderes Executivo e Legislativo, façam uma reflexão de suas atuações, porque essa manifestação, nada mais é que uma indignação do cidadão, diante de uma certas situações que vêm acontecendo no País, conclui a representante do Ministério Público de Araxá.