Destaque »

AAL comemora 53 anos e escritora Wilma Cunha recebe Comenda Literária

19 de Maio de 2018 – 0:36 |

A noite da última terça-feira, dia 15 de maio de 2018, foi de comemoração  e homenagem, para os membros da  AAL – Academia Araxaense …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Incêndio destrói reserva ambiental do Parque do Cristo

“Ações preventivas poderiam ter evitado  destruição da fauna  e flora que existe na reserva ambiental do local.”

Um incêndio que começou na tarde de segunda-feira, 6, queimou grande parte da encosta do Parque do Cristo, uma reserva ambiental existente no local, colocou em risco casas de um condomínio, destruiu grande parte da flora e exterminou vários animais da fauna que vivem na mata que é uma reserva ambiental do município. Foram praticamente dois dias de queimada intensa, dia e noite, com prejuízos ambientais de grande proporção.  Em um momento em que todos estão sentindo na pele o descaso que o ser humano está tendo com a natureza, a seca tem reduzido consideravelmente todas as reservas de água dos mananciais que abastecem os municípios de várias cidades do País. Araxá e região, que nunca tiveram problemas com falta d’agua, estão assistindo à nascente dos córregos e riachos secando aos poucos. O que preocupa é que os incêndios na encosta do Cristo vêm se tornando comuns e periódicos, algo previsível, que poderia ser evitado, e as autoridades competentes nada têm feito para evitar as queimadas. Ieda Martins de Sá, Biomédica, moradora na região, proprietária de um terreno no condomínio fica no local, buscou, de todas as formas, ajuda para evitar proporções maiores do incêndio, não conseguindo êxito, ou melhor, o pouco que conseguiu foi tardio. Foi feito uma ocorrência policial e a presença do Corpo de Bombeiros que esteve no local com ajuda de voluntários evitaram apenas que as labaredas não invadissem as casas de um condomínio próximo, não conseguindo acabar com os diversos focos de incêndio que se alastrava rapidamente por toda a reserva. Solicitação de ajuda para a prefeitura não atendida, e a polícia ambiental atendendo outra ocorrência resultaram na impossibilidade se de se evitar a mortandade de vários pássaros e animais como corujas, tucanos, micos, largatos e outras espécies importantes para o equilíbrio do ecossistema. Toda uma área frutífera com mais de 100 pés de diversas frutas plantadas por uma moradora do condomínio e também um deck de madeira de grande proporção foram totalmente destruídos pelas labaredas de fogo. Ieda acredita que o incêndio possa ter sido criminoso, pois, conforme relato de uma pessoa, um homem foi visto colocando fogo em um pano para queimar alguma coisa no entorno da encosta, bem próximo à rotatória que dá acesso à entrada  do condomínio e ao bairro Urciano Lemos e outros, local onde ficam vários caminhões parados. É lamentável o descaso que o homem vem tendo com os recursos naturais, não dando a importância necessária para que a prevenção evite perdas maiores no meio ambiente que está a cada dia mais degradado.