Destaque »

Faltam 9 dias para o mineiro escolher os novos Presidente e o Governador

19 de outubro de 2018 – 20:12 |

Faltando nove dias para o embate final nas urnas, para a decisão do segundo turno da contenda eleitoral,  para o cargo de presidente da república do Brasil e para o cargo de  governador de Minas …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Destaque

Um Show de máquinas no 21º Brasil Classics Fiat Show em Araxá


Araxá recebeu o 21º Brasil Classics Fiat Show, o Encontro de Carros Antigos. A exposição que aconteceu no pátio do Tauá Grande Hotel e Termas de Araxá, no Barreiro, mostrou ao público a evolução dos automóveis em mais de cem anos de história e valorizou o antigomobilismo nacional, de 18 a 22 de junho.

Realizado há 30 anos, o encontro de carros antigos nasceu da paixão de amigos colecionadores e se tornou uma grande referência quando se fala de verdadeiras máquinas do passado que fazem sucesso até hoje no presente, como um carro inglês de 1975, Bugatti 1937, modelo 57, dentre outros.

Cerca de 300 veículos, com relíquias até mesmo do século 17, foram colocados à mostra para o público em frente ao hotel: um Willys Capeta 1965, Mercedes – Benz 540 K, Special Roadster 1937, Peugeot 1903, Fiat 1911 e outras raridades. Entre as raridades, um Rolls Royce, de 1953, que foi veículo oficial e presente da Rainha da Inglaterra ao Brasil. A réplica do 1º carro do mundo e exemplar único no País, uma Benz de 1886, também estava exposta. A história deste carro se confunde com a do automóvel. Construído em janeiro de 1886, por Karl Friedrich Benz, foi o primeiro carro patenteado do mundo. Com três rodas, dois lugares e sem volante, o Benz Patent Motorwagen parecia uma carruagem sem cavalos.

Uma das novidades desta edição foi o Bugatti 1937, modelo 57, que pôde ser apreciado pela primeira vez pelo público. A Bugatti foi uma das principais marcas francesas de carros de competições nos anos 20 e 30. No Brasil, há apenas dois modelos.

Além das visitas aos veículos expostos, os participantes puderam contar com a já conhecida Feira de Peças e o Leilão de veículos antigos, o movimentado Mercado das Pulgas, por meio dos quais o público e os participantes encontraram peças novas e usadas, miniaturas, acessórios para os carros, literatura e objetos retrô de decoração.

De acordo com um colecionador, grande parte das pessoas foi prestigiar os carros antigos. “Muitas pessoas vêm aqui na feira e só olham os carros”. Ele conta que o grande prazer dele é ficar entre os veículos antigos, conversando com as pessoas.

Tradição das exposições, a feira reuniu, em um mesmo espaço, peças de veículos antigos e variedades relacionadas ao tema. O leilão foi uma atração à parte e garantiu diversão para os aficionados pelos antigos.

Neste ano, o leilão foi dividido em duas partes. Foram arrematados 45 veículos, e a arrecadação chegou a R$ 1,6 milhão.  O lance mais alto foi uma Ferrari 380 GTSi, produzida em 1981. O esportivo italiano foi arrematado por R$ 250 mil. O menor valor foi para uma Lambreta 1967, vendida por R$ 11.500.

 

Merece destaque um Karmann-Ghia com mecânica de Porsche e 380 cv. O carro pertenceu a Nelson Piquet e traz a assinatura do piloto no capô. O maior lance foi de R$ 60 mil, abaixo do valor desejado.

Na sexta-feira, dia 20, houve o desfile de alguns veículos pelo centro da cidade, chamando a atenção de moradores que passavam pela avenida Antônio Carlos. O aposentado Manoel Francisco Teixeira, de 72 anos, estava no centro na hora da carreata e se emocionou ao lembrar-se do seu carro antigo. “Alguns anos atrás, eu tive Opala 1974, era a minha paixão. Agora, eu vendo estas belezuras desfilarem aqui na avenida, me dá vontade de voltar ao passado”, comenta Manoel. Ele lembra que seu Opala foi adquirido por um empresário de São Paulo.

O evento foi organizado pelo Veteran Car Club – MG e patrocinado pela Fiat Automóveis. De acordo com o presidente do Veteran Car Club – MG, Otávio Pinto de Carvalho, o Brazil Classics se destaca pelas raridades apresentadas e pela importância histórica dos veículos expostos, proporcionando um momento de entretenimento aos amantes do antigomobilismo e para o público em geral.

O grupo Fiat Chrysler marcou presença com várias ações, entre elas, test-drive com o Fiat Linea 2015, exposição de 16 modelos marcantes no Brasil, como Fiat 147, Oggi CSS, Tipo, Tempra, Uno Turbo, além de versões de competição, como o Palio de Rally, maior vencedor da categoria em toda a história da competição brasileira e o Linea pilotado por Caca Bueno, tricampeão do Trofeo Linea.

A expectativa de público presente foi  25 mil, incluindo expositores, apreciadores de antigomobilismo e visitantes. Entre esse grupo estava o artesão Gilberto Soares de Souza, que destacou o valor que o encontro proporcionou aos mais jovens de conhecerem “verdadeiras máquinas”, os carros antigos, que fazem parte do imaginário popular. “É um encontro excelente, com uma belíssima organização, e é muito bom rever estas joias raras dos anos passados, e os jovens de hoje poderem conhecer estes veículos, que, com certeza, estão marcados na vida das pessoas mais antigas”, relatou.

A enfermeira Mônica Santiago Borges Soares, de 29 anos,  aproveitou o final de semana com a exposição de carros para levar suas filhas para conhecerem as relíquias. “É um momento maravilhoso para Araxá e toda a região.  Estou trazendo minhas filhas para apreciarem e conhecerem estes lindos veículos antigos. A organização e a cidade estão de parabéns por receber esse encontro, e os colecionadores, por darem exemplo de cuidado e zelo com os carros”,  comentou.

Premiações:

A solenidade de premiação, ocorrida na noite de sábado, 21, foi outro grande momento do evento. O desfile contou com a presença de diversas raridades, comprovando o charme do Brazil Classics Fiat Show.

Uma tradição do Brazil Classics é premiar os veículos que mais se destacaram durante o evento. Nesta edição, a novidade foi a votação feita pelo público presente à exposição em três categorias: Clássico, Nacional e Esportivo.

O modelo Tatra 87, das décadas de 20 e 30, foi eleito pelo público como o mais clássico entre os clássicos. O veículo construído na Tchecoslováquia foi um dos carros mais rápidos do seu tempo, com seu motor V8, traseiro, refrigerado a ar. Uma Kombi 74 não restaurada foi vencedora na categoria nacional. E um Plymouth GTX 1970, modelo americano, a escolhida como o melhor esportivo pelo público.

Troféu Lalique – O Troféu Lalique é transitório e é dado a uma personalidade que se destacou no trabalho de crescimento e reconhecimento do antigomobilismo. Na edição 2014, o presidente da Federação Brasileira de Veículos Antigos (FBVA), Henrique Thielmann, foi o escolhido devido ao seu trabalho à frente da Federação nos últimos sete anos. A Ferrari Barchetta 1952 recebeu o Troféu Hors-Concours da edição.

Troféu Roberto Lee – A premiação mais aguardada da noite, o Troféu Roberto Lee, que premia o automóvel mais representativo do evento foi para a Bugatti 1937, carroceria Stelvio-Gangloff modelo 57.