Destaque »

Araxá alcança meta em todas as faixas etárias da vacinação contra pólio e sarampo

25 de setembro de 2018 – 11:55 |

De acordo com o balanço apresentado pela Administração Municipal, através da Secretaria de Saúde, a Campanha de Vacinação contra Pólio e Sarampo atingiu êxito em todas as faixas etárias compreendidas entre um ano e …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Esporte

Nem a péssima arbitragem conseguiu atrapalhar a vitória do Gansinho. 1 a 0.

Por: Alcino de Freitas.

Uma partida frenética, tumultuada e tendenciosa. Assim foi o jogo realizado no sábado, 26, entre as equipes do Araxá Esporte e Santa-ritense, disputada no Estádio Municipal Fausto Alvim, em Araxá, válido pela oitava rodada do Campeonato Mineiro de Juniores. O Gansinho jogando para defender sua posição de líder da chave, enquanto o time de Santa Rita precisava da vitória para continuar vivo na competição. Por isso, a partida foi acirrada do princípio ao fim, o que ocasionou fatos que nunca deveriam acontecer, mas com o árbitro e seus auxiliares fazendo vista grossa e deixando o jogo correr. Mesmo com desfalque de três titulares, João Paulo, Gabriel e Douglas, Gansinho iniciou muito bem a partida, finalizando com persistência. Aos 15 minutos, o time de Santa Rita chegou com perigo, por meio de cobrança de falta, mas o goleiro Neto mostrou que estava em uma tarde inspirada e espalmou a bola para escanteio. Aos 24 minutos, Gansinho abriu o marcador. Wesley Bala, que há muito tempo vinha tentando o gol, aproveitou um cruzamento da direita e escorou para o fundo das redes. Gansinho recuou e Santa-ritense passou a pressionar. Aos 32 minutos, outra excelente defesa do goleiro Neto, quando teve um adversário à sua frente. Ainda neste primeiro tempo, Santa-ritense chutou uma bola contra a trave. O atleta número 7, Wallace, aproveitando do seu porte físico, passou a dar cotoveladas, e a arbitragem fazendo de conta que não enxergava. Quando terminou o primeiro tempo, Gustavo, técnico do Gansinho, foi reclamar das cotoveladas, e o técnico do Santa-ritense tomou as dores do seu atleta. Resultado: o árbitro expulsou o técnico do Gansinho, mas o outro que intercedeu a favor do atleta de Santa Rita permaneceu em campo. No segundo tempo, ficou ainda pior. Aos 18 minutos, o goleiro Neto fez uma defesa em dois tempos, quando foi chutado no rosto pelo zagueiro Lucas. Matheus Henrique, zagueiro do Gansinho, para proteger seu companheiro de equipe, que, caído, semidesacordado, deu “um chega pra lá” em Lucas, e acabou expulso junto com o atacante. A partida foi reiniciada sem o goleiro Neto, que teve que ser substituído, mas com o time de Santa Rita tentando chegar ao empate a qualquer custo, num jogo contundente. Duas outras oportunidades ainda foram criadas: aos 47 minutos, Túlio, que substituiu Neto, fez uma boa defesa na cobrança de falta chutada por Alef e, aos 55 minutos, foi a vez de Guilherme Mascote obrigar o goleiro Ronaldo a evitar o segundo gol, fazendo uma belíssima intervenção. Apesar de toda agitação, e que poderia levar a uma fatalidade no final da partida, houve contenção pelos dois lados e tudo terminou sem nenhuma confusão.

O Gansinho venceu de: Neto (Túlio), Lucas Evangelista, Rafael, Matheus Henrique, Alexandre; Gabriel Cardoso (Wesley Geamononde),  Jhonatas,  Fábio (Lenon), Wesley Bala (Douglas Samuel); Bruno (Moulay) e Guilherme Mascote. Técnico: Gustavo Rodrigues.

O Santa-ritense foi de: Ronaldo, Vitor, Pedro, Lucas, Brendo; Mateus (Alef), Cleber, Murilo, Wallace; Arroz (João Marcos) e Wesley (Marcelo). Técnico: Sandro.

Árbitro: Josué Otaciano dos Santos, auxiliado por Marcelo Francisco dos Reis e Wellington Pereira Neto.

O árbitro deixou muito a desejar na parte disciplinar e aplicou muitos cartões amarelos na equipe do Gansinho.

Receberam o cartão: Gabriel Cardoso, Jhonatas, Bruno, Guilherme Mascote e Douglas Samuel.

Para o Santa-ritense: Lucas e Alef.

Cartões vermelhos: Gansinho: o técnico Gustavo e o zagueiro Matheus Henrique.

Pelo Santa-ritense, o zagueiro Lucas.