Destaque »

AAL comemora 53 anos e escritora Wilma Cunha recebe Comenda Literária

19 de Maio de 2018 – 0:36 |

A noite da última terça-feira, dia 15 de maio de 2018, foi de comemoração  e homenagem, para os membros da  AAL – Academia Araxaense …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Turismo

2ª Conferência Municipal de Políticas Públicas de Juventude em Araxá

Na última quarta-feira, 2, foi realizada, no anfiteatro da E.E.Prof. Luiz Antônio Corrêa de Oliveira, a 2ªConferência Municipal de Políticas Públicas de Juventude em Araxá, cujo tema foi “Juventude em rede para a cidadania” A conferência teve início às 8he teve duração até 11h. O evento foi realizado por meiode uma parceria entre governo do Estado e Prefeitura Municipal, contou com a presença de diversas instituições de ensinopúblicas e privadas.Entre professores e alunos, aconteceram trocas de experiências muito ricas.Segundo o vice-presidente do JPSDB Araxá, José Renato Silva Júnior, “aconferência abrange vários temas, entre eles educação, política sobre droga,empregabilidade e sexualidade. A juventude é a melhor idade, porque é a fase em que a pessoa começa a fazer sua cabeça, começa a formar suas opiniões.”

“Nós vemos os movimentos onde os jovens reivindicam melhorias para o transporte e educação, mas agente não vê nenhum trabalho para concretizar isso. Então,essa  conferência é uma das maneiras usadas para aproximar o jovem da política, para que ele possa, de verdade, ter seus próprios argumentos.Daqui saem as ideias, são feitos os projetos,que,depois,sãolevadospara seremdiscutidosa nível estadual e, após isso, a nível federal.”, disse a vice-prefeita Edna Castro, que esteve presente no evento e também conversou com os alunos.

tem foto (foto2)

A conferência teve como palestrante o superintendente de Movimentos Sociais do Jovem,na Secretaria Estadual de Esporte e Juventude, Thomas Lafetá, que debateu diversos assuntoscom jovens que tinham entre 16 e 18 anos.Após a palestra,os alunos foram divididos em8 grupos para debates.Cada grupo teve um tema. Os assuntos abordados foram o mercado de trabalho, educação, cultura e conexão, vida saudável e política, antidrogas, direito de associar, diálogo com o governo, sexualidade e segurança.Ecada aluno recebeu uma pasta por meio da qualpoderia mostrar suas ideias. “Juventude contestadora,para mim, é a juventude que luta por seus direitos, que procura igualdade e respeito. Acho que a juventude antiga não tinha tanta influência tecnológica.Hoje muitas pessoas se tornam antissociais em função dessa exceção de tecnologia, e é importante agente ter acesso a esse tipo de projeto, que nos auxilia em muita coisa.”, Julia Bárbara, estudante,16 anos. “Eu acho que, em primeiro lugar, a chance que esses jovens estão tendo de participar de um encontro como esse já é um grande ganho.Eu acho que agora eles vão ficar mais politizados, mais atentos.Acho que muitostemas que estão sendo discutidos aqui nunca passaram pela cabeça de muitos deles. O jovem atual é conectado, em todos os sentidos, com um grande potencial, uma gama de informações muito grande, mas estão precisando de mais informação e um espaço de orientação como esse que está tendo hoje”, destacou a coordenadora do Colégio Atena, Lilian Márcia Ferreira Natal.

tem foto (foto3)

Um dos assuntos mais abordados foi a maioridade penal. Em uma sala de 35 alunos, com idades de 15 a17 anos, 28 são a favor. Sabe-se que é um assunto bastante complexo, mas foi bastante comentado e debatido, principalmente entre os jovens.“Eu acho que tem jovem que escolhe esse caminho e acaba cometendo crimes bárbaros.Eu acho que a juventude tem vontade de saber, de conhecer, mas, às vezes, ela tenta conhecer alguns caminhos que não são certos”,disse a aluna da escola Armando Santos, Sheila Alves Silva.

A diretora do Polivalente, Zulma Moreira, recebeu a todos com muita alegria e ressaltou que”a conferência é importante, porque esse é um momento de ouvir, é muito importante ouvir e discutir também, pois a troca de opiniões pode melhorar muito essa situação.Como educadora, eu vejo que o principal problema da juventude brasileira éa falta de motivação; alunos novos, sem uma perspectiva de futuro.Eu vejo uma juventude sonhadora e sem rumo, porque eles sonham muito, mas não sabem aproveitar as oportunidades.E o que eles precisam é de informação correta, e é isso que a conferência vem proporcionar a eles aqui.”