Destaque »

França e Croácia decidem Copa do Mundo na Rússia

14 de julho de 2018 – 22:28 |

Após a eliminação do Brasil nas quartas de final e a derrota de Bélgica e Inglaterra nas semifinais, França entra em campo neste domingo tentando o bicampeonato mundial de futebol na Copa do Mundo, às …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » Diversos

Marcílio é contra o recesso parlamentar de julho

Ele se junta a Juninho e Roberto, que também não concordam com a proposta da Mesa Diretora; expectativa é que o projeto de emenda à Lei Orgânica seja votado após o dia 26.

Em rápida passagem pela tribuna, o vereador Marcílio da Prefeitura (PT) abriu seu pronunciamento nesta terça-feira, 23, justificando sua ausência na reunião ordinária passada, quando foi votado e aprovado, em primeiro turno, o projeto de emenda à Lei Orgânica que retorna o recesso parlamentar em julho, por estar em viagem a Brasília tratando de assuntos de interesse da comunidade de Araxá junto ao governo federal, principalmente na área de saúde.

Disse que, ao retonar a Araxá, foi pego de surpresa e não tinha conhecimento da matéria em questão. “Preciso me posicionar. De uma mentira dita várias vezes, formam-se opiniões. Neste momento, quero tornar público que, se estivesse presente, meu voto seria contrário ao projeto, e me mantenho contra”, relatou.

O recesso parlamentar de julho foi proposto pela Mesa Diretora formada pelos vereadores presidente Miguel Alves Ferreira Júnior (PMDB), vice-presidente, Sargento Amilton (PT do B) e primeiro secretário, Eustáquio Pereira, e aprovado, em primeiro turno, na reunião ordinária do dia 16 passado, por 11 votos a 1.

Os vereadores que votaram favoráveis foram Sargento Amilton (PT do B), Eustáquio Pereira (PT do B), Professor Cachoeira (PDT), Pezão (PMDB), Néia da Uninorte (PDT), Garrado (PR), Alexandre dos Irmãos Paula (PR), Romário do Picolé (PT do B), Fabiano Santos Cunha (PRB), Mauro do Detran (PDT) e Miguel Júnior (PMDB).

Além de Marcílio, Fárley, companheiro de bancada do PT, também não esteve presente por estar em Brasília. O vereador Roberto do Sindicato (PP) saiu do plenário e se absteve da votação. Já Juninho da Farmácia foi o único parlamentar que votou contra a proposta.

A expectativa é que o projeto seja votado novamente depois do dia 26, quando vai completar o prazo de 10 dias para apreciar esse tipo de matéria que pertence à Lei Orgânica do Município.