Destaque »

Secretaria de Educação doa alimentos para famílias de alunos carentes de Araxá

1 de abril de 2020 – 17:41 |

A Secretaria Municipal de Educação, comunica que está doando gêneros alimentícios para famílias de alunos carentes da rede municipal de ensino devido a suspensão das aulas. A ação se justifica devido a mobilização que …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Empresários denunciam venda ilegal de móveis em Araxá

Um grupo de empresários do ramo de móveis esteve na Acia para mobilizar a Associação Comercial e Industrial de Araxá em defesa dos empreendedores deste setor. Os comerciantes denunciam que vários caminhões aportam em Araxá e vendem ilegalmente diversos tipos de móveis nas ruas da cidade causando prejuízo para o comércio local e também aos próprios consumidores.

Os empresários Julio César Bruno, Paula Marques Lemos e Sérgio Akel Valle foram recebidos pelo presidente Marcio Farid e diretores Guilherme Angotti Akel e Benedito Gonzaga Teixeira. Eles explicaram que todo fim de semana estes caminhões aparecem na cidade trazendo móveis de péssima qualidade e comercializando estes produtos nas ruas e avenidas de Araxá sem nenhuma autorização legal.

Os empresários exigem alguma providência para que este comércio ilegal seja proibido no município. Segundo eles, trata-se de uma concorrência desleal, pois estes vendedores clandestinos não recolhem os impostos para a cidade e não dão garantia de qualidade dos produtos. Eles afirmam que a venda irregular causa evasão de divisas e muito prejuízo para a cidade que deixa de gerar emprego e renda para toda a comunidade.

“Estes caminhões estacionam nos principais pontos de Araxá para venderem móveis sem qualidade e não possuem autorização da Prefeitura de Araxá. Nós queremos cobrar uma atitude efetiva do Poder Público com relação a este tipo de comércio ilegal na nossa cidade”, afirmou Julio César.

“É um verdadeiro absurdo o que esta acontecendo em Araxá. Os comerciantes estabelecidos na cidade pagam impostos, emitem nota fiscal, geram empregos enquanto pelo contrário este pessoal que vem de fora não tem nenhuma responsabilidade com a cidade e com o cliente”, reclamou Paula Marques.

“Nós já denunciamos esta situação irregular à Prefeitura de Araxá e até agora nenhuma atitude foi tomada para solucionar este problema. Agora esperamos que juntamente com a Associação Comercial possamos sensibilizar as autoridades do município sobre a importância de preservar os estabelecimentos comerciais da cidade”, disse Sérgio Valle.

O presidente da Acia, Marcio Farid, diz que a Associação Comercial e Industrial de Araxá entende que estes vendedores que praticam o comércio ilegal em Araxá realmente representam um grande prejuízo para a economia local porque não têm um estabelecimento comercial no município. Segundo Farid, já existe uma lei municipal que proíbe este tipo de comércio e que é necessário aumentar a fiscalização, inclusive com a colocação de placas nas entradas da cidade informando sobre a proibição deste tipo de venda conforme lei municipal.

“Estes vendedores não pagam imposto nenhum, não geram emprego nenhum e ainda prejudicam os empresários que estão cumprindo toda a legislação e contribuindo para o crescimento econômico de Araxá. A Acia vai empenhar todos os seus esforços para que a cidade não tenha este tipo de comércio. São produtos de péssima qualidade e nenhuma garantia, pois não têm procedência. Quando os móveis apresentam defeitos o consumidor não tem aonde ir para reclamar. Estamos encaminhando um ofício ao IPDSA [Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Sustentável de Araxá] no sentido de cobrar uma maior fiscalização destes vendedores ilegais que estão atuando em Araxá e desrespeitando a lei”, concluiu Farid.