Destaque »

Ganso empata com Valeriodoce e continua no G4

24 de setembro de 2018 – 19:49 |

Em partida válida pela décima rodada da primeira fase do Campeonato Mineiro da Segunda Divisão, versão 2018, chancelado pela Federação Mineira de Futebol, na manhã do último  domingo, dia 23 de setembro, o time do …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Realizada audiência de uma das ações que contestam campanha de Jeová nas eleições de 2012

O juiz eleitoral, Eduardo Augusto Gardesani Guastini, promoveu audiência de ação protocolada pelo Partido da República (PR) que aponta atos ilícitos de Jeová em sua campanha.

A 17ª Zona Eleitoral de Araxá promoveu audiência relacionada a uma das quatro ações impetradas pelo Partido da República (PR) apontando ato ilícito na campanha de Jeová Moreira da Costa (PDT) e Edna Castro (PSDB) (prefeito e vice-prefeita), que saiu vencedor nas eleições municipais 2012, na última sexta-feira, 8. A audiência que começou às 13h30 e terminou por volta das 20h30, no Juizado Especial, da Avenida Getúlio Vargas (antigo Fórum), foi comandada pelo juiz eleitoral Eduardo Augusto Gardesani Guastini. Na oportunidade, não foi permitido o acesso da imprensa de Araxá para acompanhar o andamento da audiência.

A ação protocolada pelo Partido da República (PR), tratada em questão, refere-se ao processo de investigação judicial eleitoral que aponta abuso de poder econômico, de poder político, autoridade, uso indevido de meio de Comunicação Social e conduta vedada a agente público. Denúncias como de a secretária municipal de Educação, Maria Célia Araújo Oliveira, ser o maior cabo eleitoral da equipe de gestores de Jeová estão incluídas na ação protocolada pelo PR em dezembro passado.

Além do juiz eleitoral, a audiência contou com as presenças do promotor eleitoral, Fábio Valera, e das partes envolvidas no processo – atual prefeito e vice, Jeová Moreira da Costa e Edna Castro, Lídia Jordão (PP), que estava na chapa derrotada ao lado de Aracely de Paula (PR) nas eleições majoritárias 2012, e dos advogados de ambas a partes. Aracely de Paula (PR) não se fez presente na audiência.

Nesta audiência, realizada na sexta-feira antes do carnaval, o juiz eleitoral, Eduardo Augusto Gardesani Guastini, ouviu, ao todo, oito testemunhas, sendo cinco de Aracely e três de Jeová, como parte da ação de investigação para checar se houve ato ilícito ou não na campanha eleitoral do prefeito de Araxá. Ele foi o vencedor das eleições de 2012 pela Coligação Araxá em Boas Mãos, com 23.397 votos [41,72% da preferência do eleitorado], 184 votos a mais que Aracely de Paula (PR), em segundo lugar, com 23.213 votos, que representaram 41,39% da população araxaense.

Na tarde de sexta-feira passada, estava prevista a realização de mais uma audiência sobre a outra ação protocolada pelo Partido da República (PR) em 12 de dezembro de 2012, mas a realização do evento foi cancelada e transferida para o dia 25 de fevereiro, segunda-feira, às 15h, no Juizado Especial, situado na Avenida Getúlio Vargas.

Essa ação envolve principalmente a contestação dos eventos promovidos pela Prefeitura Municipal de Araxá, os quais, segundo relato da defesa do partido de Aracely, teriam sido utilizados em benefício da campanha de Jeová e Edna, tais como o Festival de Cinema de Araxá, evento realizado em setembro do ano passado e subvencionado com recursos públicos, dentre outras denúncias.

Após as realizações das audiências, o juiz eleitoral deu um prazo de dois dias úteis [que começou a valer a partir desta quarta-feira, 13] para as partes apresentarem alegações finais e, após este prazo, mais dois dias para o Ministério Público se manifestar. Depois, o processo segue para o juiz eleitoral sentenciar sobre as denúncias.