Destaque »

CBMM amplia área de atuação e anuncia criação do Centro de Matéria Prima para Turbinas de Avião em Araxá

14 de dezembro de 2018 – 11:13 |

A direção da empresa CBMM, realizou na noite da última terça-feira, dia 11 de dezembro, no ‘Clara Rosa Eventos’,  a tradicional reunião de confraternização com profissionais e diretores de organismos de imprensa da cidade de …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Realizada audiência de uma das ações que contestam campanha de Jeová nas eleições de 2012

O juiz eleitoral, Eduardo Augusto Gardesani Guastini, promoveu audiência de ação protocolada pelo Partido da República (PR) que aponta atos ilícitos de Jeová em sua campanha.

A 17ª Zona Eleitoral de Araxá promoveu audiência relacionada a uma das quatro ações impetradas pelo Partido da República (PR) apontando ato ilícito na campanha de Jeová Moreira da Costa (PDT) e Edna Castro (PSDB) (prefeito e vice-prefeita), que saiu vencedor nas eleições municipais 2012, na última sexta-feira, 8. A audiência que começou às 13h30 e terminou por volta das 20h30, no Juizado Especial, da Avenida Getúlio Vargas (antigo Fórum), foi comandada pelo juiz eleitoral Eduardo Augusto Gardesani Guastini. Na oportunidade, não foi permitido o acesso da imprensa de Araxá para acompanhar o andamento da audiência.

A ação protocolada pelo Partido da República (PR), tratada em questão, refere-se ao processo de investigação judicial eleitoral que aponta abuso de poder econômico, de poder político, autoridade, uso indevido de meio de Comunicação Social e conduta vedada a agente público. Denúncias como de a secretária municipal de Educação, Maria Célia Araújo Oliveira, ser o maior cabo eleitoral da equipe de gestores de Jeová estão incluídas na ação protocolada pelo PR em dezembro passado.

Além do juiz eleitoral, a audiência contou com as presenças do promotor eleitoral, Fábio Valera, e das partes envolvidas no processo – atual prefeito e vice, Jeová Moreira da Costa e Edna Castro, Lídia Jordão (PP), que estava na chapa derrotada ao lado de Aracely de Paula (PR) nas eleições majoritárias 2012, e dos advogados de ambas a partes. Aracely de Paula (PR) não se fez presente na audiência.

Nesta audiência, realizada na sexta-feira antes do carnaval, o juiz eleitoral, Eduardo Augusto Gardesani Guastini, ouviu, ao todo, oito testemunhas, sendo cinco de Aracely e três de Jeová, como parte da ação de investigação para checar se houve ato ilícito ou não na campanha eleitoral do prefeito de Araxá. Ele foi o vencedor das eleições de 2012 pela Coligação Araxá em Boas Mãos, com 23.397 votos [41,72% da preferência do eleitorado], 184 votos a mais que Aracely de Paula (PR), em segundo lugar, com 23.213 votos, que representaram 41,39% da população araxaense.

Na tarde de sexta-feira passada, estava prevista a realização de mais uma audiência sobre a outra ação protocolada pelo Partido da República (PR) em 12 de dezembro de 2012, mas a realização do evento foi cancelada e transferida para o dia 25 de fevereiro, segunda-feira, às 15h, no Juizado Especial, situado na Avenida Getúlio Vargas.

Essa ação envolve principalmente a contestação dos eventos promovidos pela Prefeitura Municipal de Araxá, os quais, segundo relato da defesa do partido de Aracely, teriam sido utilizados em benefício da campanha de Jeová e Edna, tais como o Festival de Cinema de Araxá, evento realizado em setembro do ano passado e subvencionado com recursos públicos, dentre outras denúncias.

Após as realizações das audiências, o juiz eleitoral deu um prazo de dois dias úteis [que começou a valer a partir desta quarta-feira, 13] para as partes apresentarem alegações finais e, após este prazo, mais dois dias para o Ministério Público se manifestar. Depois, o processo segue para o juiz eleitoral sentenciar sobre as denúncias.