Destaque »

Zema e ministros anunciam R$ 250 milhões para investimento em turismo e saneamento básico em Minas

10 de julho de 2020 – 17:36 |

Em uma agenda surpresa, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, concederam entrevista coletiva à distância na segunda-feira junto com o governador de Minas, Romeu Zema (Novo). …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home » +

Final do horário de verão: relógios atrasam, no próximo domingo, em uma hora

Após quase quatro meses, o horário de verão terminará à 0 h do próximo domingo. Para muitos, que já estavam acostumados ao horário de verão, a volta ao horário normal chega a ser um grande incômodo, mas, para outros, será muito bem-vindo, já que ganham uma hora a mais de sono no fim de semana. Em vigor nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste e no Estado do Tocantins desde 21 de outubro do ano passado, o horário de verão está prestes a terminar. Para se adequar novamente ao horário normal, os moradores desses locais devem atrasar seus relógios em uma hora.

Para o empresário Maicon Rosa, a mudança não apresenta grandes transtornos, e sim benefícios: “Olha, pra mim não muda nada. Não tenho problemas com horário, mas prefiro particularmente o horário normal. Acredito que economiza energia, sim. Não que seja tão significativa, mas, sim ao longo do tempo, faz uma diferença”.

O horário de verão é aplicado no Brasil desde o início da década de 1930 e começou em 1985 a ser adotado sem interrupções. Em 2008, foi definido que a mudança de horário passaria a começar no terceiro domingo de outubro e acabar no terceiro domingo de fevereiro, conforme ocorre atualmente. Portanto, em 2013, o horário de verão terá início em 20 de outubro, estendendo-se até 16 de fevereiro de 2014.

Apesar de muitos acreditarem que uma alteração do tipo pode ser prejudicial ao organismo, os especialistas garantem: atrasar o relógio só traz benefícios à saúde. Atrasando o relógio, as pessoas recebem a luz solar mais precocemente, inibindo a ação da melatonina – hormônio responsável por manter o ciclo do sono, além de, segundo um estudo canadense aponta, o término do horário de verão no País diminuir para 7% o número de acidentes de trânsito durante a primeira semana.

Para o jornalista Ubirajara Galvão, a mudança é benéfica e ajuda a escapar do calor. “Não vejo diferença entre os horários. Pra mim, tanto faz ter o horário de verão ou não. Acredito que o horário de verão permita aproveitar mais o dia e, também, sem ele, o calor é menor. Mas, não deve alterar muito minha rotina do dia a dia”, afirmou.

O principal objetivo do horário de verão é aliviar as redes de transmissão de energia nos períodos do dia em que o consumo é mais intenso, principalmente das 18h às 21h.

A expectativa da ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico) era economizar R$ 282 milhões. O valor é 56% maior que os R$ 180 milhões economizados no ano passado. O motivo é a menor necessidade de acionamento das usinas térmicas, que custam mais caro para gerar energia do que as hidrelétricas.