Destaque »

Araxá realiza 10ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente

14 de novembro de 2018 – 17:47 |

Foi realizada na última terça-feira, dia 13 de novembro, na Pousada Dona Beja, a  10ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Araxá. O evento reuniu representantes de entidades e …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home »

VIVENDO E ADIMIRANDO, AQUELA NATUREZA SELVAGEM

Eram ainda cinco da matina, nós despertávamos daquele sono gostoso, ouvindo o barulho do silêncio. Na barraca da cozinha, Benedito batendo panelas gritando, avisava que o bagua estava pronto. Pouco tempo depois, raios luminosos vinham clarear a escuridão da noite, era o rei do universo anunciando um novo dia, era a aurora, o mais belo espetáculo da natureza. Como é lindo e romântico até, a vinda de um novo dia lá no sertão de Goiás! Estávamos pescando no rio Tocantins, já há cinco dias; fazíamos uma ótima pescaria, além de gostosos passeios mata adentro, admirando a flora. Samambaias e orquídeas ornamentavam aquele ambiente tão simples, porém de imensa beleza. Depois do reforçado café, fomos ao trabalho, pescando ali pertinho das barracas mesmo. Pescamos até às dezoito horas, vindo para as barracas, pois ali não é aconselhável a pesca noturna, devido a ataques constantes de onças aos pescadores imprudentes. Enquanto aguardávamos o jantar, papeávamos animadamente, ouvindo principalmente os gostosos causos de pescaria e caçadas, de nosso guia, o Zezão. Ele que nascera e fora criado naquele lugar, muitos e emocionantes causos faziam parte de seu grande repertório. Benedito como de costume, falava da sogra e era uma risada geral. Enquanto isto, atentos, admirávamos o fim do dia. O crepúsculo, mostrando aquele lindo espetáculo de despedida, do rei do universo na terra. Fachos de luz tingiam com seus raios luminosos, aquela natureza selvagem, tão bonita e tão simples. Aos poucos a claridade ia desaparecendo e os animais, de vida noturna vinham chegando e num cocho, que Benedito improvisara, vinha se banquetearem com restos de comida, ali colocados para alimentar os bichinhos. Nas pescadas fazíamos sucesso, graças ao conhecimento de nosso guia, profundo conhecedor dos melhores pesqueiro, como também, o melhor horário para pegarmos os bons peixes, era infalível. Além de muito peixe, divertíamos admirando os lindos exemplares principalmente das monstrengas pirararas. Eram animais de mais de cinqüenta quilos, que nos davam muito trabalho para trazê-las até o barco. Com fortes arrancadas, elas pareciam querer arrastar até o barco. Também as dentuças cachorras, os piaus e piaparas somente serviam de iscas. No alojamento, divertíamos com nossos visitantes, um bando de micos e macaquinhos, que ficavam por ali, a espera de agrados. Sempre tratados principalmente por Benedito, porém todo cuidado era pouco, porque era descuidar um pouquinho e eles entravam nas barracas, pegando principalmente bolachas. Como foram bons aqueles dias, descansando o espírito, divertindo muito e principalmente, ouvindo os gozados causos, contados à tardinha, na hora das gostosas beiçadas, com tira gosto de peixes, feitos de todos os modos por Benedito. Como foram bons e gostosos aqueles saudosos dias…
VIVENDO E ADMIRANDO, AQUELA NATUREZA SELVAGEM
francelinocardosojr@hotmail.com