Destaque »

Brasil ganha da Costa Rica no segundo jogo por 2 a 0

22 de junho de 2018 – 20:02 |

A tônica mundial é a Copa do Mundo 2018, na Rússia, que teve início com uma goleada espetacular do time da casa diante da Arábia Saudita pelo placar de 5 a 0. Outros resultados surpreendentes …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home »

UMA AVENTURA NA ILHA DE MARAJÓ

Há tempos planejávamos este passeio louco, pescar na Ilha de Marajó, até que finalmente chegou a vez, pois nossa animada turminha quando quer, realiza…Naquela sexta feira, já estávamos prontinho para a grande viagem de quatro dias de estrada, na Vam, Gillberto o grande motorista já estava a postos. Duas da madruga, quando saímos de Araxá. Por ser uma viagem muito longa e cansativa, trocaríamos de motorista durante o trajeto, com mais de três mil quilômetros de estrada. E assim começamos nossa aventura tão sonhada, viajando de van até Belém. Em Belém conseguimos alugar uma barcaça, com oito camarotes, que seria nosso alojamento por aqueles quinze dias, seguindo rumo a Ilha de Marajó. Navegando pela Fox do rio Tocantins, chegamos na grande ilha. Nosso interesse seria pescarmos e ficarmos por ali mesmo, para conhecermos a famosa pororoca, onde o mar invade as águas do rio Tocantins. Ficamos apoitados do lado da ilha, á uns cinqüenta quilômetros da fós, pescando e vez por outra, entravamos na mata, para conhecermos a vida do lugar. Xileu um morador da ilha nos alugava os búfalos para o passeio, também servindo de guia. Os búfalos eram verdadeiros monstros que davam medo, porem muito mansos. Nos passeios, pudemos também ver outros búfalos em lagos, refrescando do calor de mais de quarenta graus. Na ilha existe uma tribo, cujo cacique é uma mulher, Zeleida Lima de Araujo, mulher com muitos poderes, segundo os nativos da região. Dizem que ela chorava na barriga da mãe, mesmo antes e nascer. Era uma verdadeira líder, não só de sua tribo, como também respeitada em toda a região. Nas matas, as castanheiras chamavam minha atenção, muito altas que na época da safra das castanhas, seus ouriços (onde ficam as castanhas) eram muito grandes, podendo até matar uma pessoa ao caírem no chão. Como eram interessantes os búfalos nativos, que estavam soltos. Ficavam nos olhando de longe, parecia nos admirar. Naquela tarde, tivemos a oportunidade de conhecermos a grande pororoca. Uma grande onda, vinda do mar, vinha invadindo e levando com ela tudo que podia, inclusive arvores. Estávamos á uma distancia segura e pudemos ver inclusive animais debatendo, para saírem daquele alvoroço. Durante nossa estada ali, pudemos ver tubarões, que vêm nas águas doces caçar e dizem, que também é ali que reproduzem. Uns muito grandes, mostravam suas grandes barbatanas dorsais na flor da água. Porem chegou o dia da volta, despedimos de amigos que la conhecemos e que, tanto apoio nos deram, nas pescarias, passeios e como nos chamavam a atenção seus causo do lugar. Causos de grandes onças que atacavam barracas, porem nós, ficamos seguros na barcaça e com muito conforto. E assim foi….

UMA AVENTURA, NA ILHA DE MARAJÓ

FrancelinocardosoJr@hotmail.com