Destaque »

Catarina enfrenta ventos fortes, mar agitado e baixa temperatura da água na travessia do Canal da Mancha

13 de setembro de 2019 – 18:25 |

Por Maurício de Castro Rosa
O ser humano é o único animal que arrisca sua vida sem ser para comer ou se salvar de um predador. Ele arrisca a vida por adrenalina, por emoções, por desafios, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home »

PESCARIA NO RIO JUREMA

Esperançosos de mais uma ótima pescaria, naquela madrugada partimos para o rio Jurema. A aurora, naquela linda manhã, parecia diferente. Raios luminosos tingiam o céu azul, anunciando a chegada do rei do universo. Pássaros, passarinhos e animais diurnos, já davam o ar da graça, com cantares, gritos e uivos. Era ainda muito cedo, cinco da matina, quando chegamos às margens do lindo rio Jurema. Logo começamos a armar as barracas e organizar tudo, também a tralha de pesca. A primeira barraca a ser armada era a da cozinha, pois Benedito teria muito trabalho naquele dia. Terminado o trabalho, fomos direto para o rio, ali pertinho das barracas, era o bom pesqueiro segundo nosso guia velho Tião. O grande rio corria silencioso, escondendo em seu leito os grandes e cobiçados peixes. Velho Tião fumava carinhosamente seu cachimbo, sentado em uma grande pedra, também pescava e ao mesmo tempo nos orientava indicando os melhores lugares para darmos os lances de carretilha. Em pouco tempo, graças ao grande mestre, lindos exemplares eram fisgados e já um lindo piau, era entregue ao Benedito para o almoço. Pescamos até ás onze horas e fomos almoçar, por ali ficando ate às quinze horas, quando voltamos à pescaria. Era esta a nossa rotina, sendo que às dezoito horas, reuníamo-nos perto das barracas, aguardando o jantar, jogávamos conversa fora, ouvindo gostosas piadas e também os emocionantes causos de pescaria de nosso guia, o velho Tião. Fomos deitar cedo, pois já às cinco da matina, Benedito nos despertava, batendo em panelas. Fazíamos somente pescaria de barranco. Aquele tanque lugar de nossas pescarias era perfeito. Um verdadeiro lajeado de pedras além de nos acomodar tão bem, nos levava, à parte mais profunda daquele tanque. Em pouco tempo, já usufruíamos daquelas vantagens. Eram fisgadas seguidas, lindos exemplares, Tuca (Saulo) arpoava um lindo pintado e Benedito um belo filhote. Ficamos ali até pelas onze da matina e por ser tão perto das barracas, fomos almoçar em nossos alojamentos. Durante o almoço, os comentários da pescaria corriam soltos. O mais interessante, é o que acontece em todas as pescarias, os maiores peixes sempre escapuliram, por serem mal fisgados ou pelo tamanho, a linha nunca agüenta. Porém ali naquele dia tudo era válido, tudo era engraçado, tudo era bom, pois segundo o velho mestre estávamos na lua cheia e principalmente naquela região, vendo e sentindo a fase promissora da lua. Foram dias maravilhosos, ótima pescaria e ainda as gostosas piadas e emocionantes causos nos deixaram muitas saudades daquela…

PESCARIA NO RIO JUREMA

francelinocardosojr@hotmail.com