Destaque »

Presidente eleito Jair Bolsonaro é diplomado pelo TSE

11 de dezembro de 2018 – 12:18 |

O Tribunal Superior Eleitoral diplomou na  segunda-feira (10) o presidente eleito, Jair Bolsonaro, e o vice, Hamilton Mourão.
Jair Bolsonaro chegou cedo na base aérea do Galeão, no Rio de Janeiro. Estava acompanhado da mulher Michele, …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home »

PESCANDO NO RIO DAS MORTES…

Tinham já cinco dias, que pescávamos naquele piscoso rio das Mortes.Cada dia uma ótima surpresa, um emocionante acontecimento, que nos faziam passarem o tempo. A natureza sempre nos presenteando com seus espetáculos, a sensação gostosa ao fisgarmos um grande peixe, também divertirmos com os macacos e miquinhos que não saiam de perto das barracas. Naquele dia fomos dormir mais cedo, pois teríamos que levantar muito cedo, para mais uma pescaria de peixes grandes Eram ainda, cinco horas da matina, a aurora nos preparava um lindo espetáculo, raios cortavam a escuridão no finzinho de noite, anunciando o nascer do rei do universo.Em seguida, raios multicores, abriam caminho para o azul do céu, começando um novo dia. Aos poucos aquela vida selvagem vinha despertando, o inhambu chororô, cantava bonito, acompanhado das saracurinhas três potes. O bando de pássaros-pretos faziam aquela algazarra, macacos pulando de galho em galho, passeavam nas copas das lindas arvores centenárias, daquela linda mata virgem. As ariranhas catavam quireras deixadas por nos na praia, até alguns peixes, sobrados da farta pescaria noturna. Enquanto isto nós preparávamos os apetrechos para mais uma pescada, em busca das grandes cachorras e pirararas. Neste momento, um barco apoita em nossa praia. Velho Tião soltando fumaça naquele famoso cachimbo, com auxilio do cajado descia do barco, vindo em nossa direção. Era mais um companheiro para aquela gostosa façanha. Depois de reforçarmos o bucho, segundo Benedito, descíamos o rio em companhia do velho mestre. Que papo bom tinha aquele homem, tão experiente da vida sertaneja, conhecedor de raízes e ervas medicinal.  Enquanto nosso barco cortava preguiçosamente as turbulentas águas do grande rio, com atenção ouvíamos seus causos sobre cura com ervas, de doenças e até picadas de cobras.  Enfim chegamos no grande tanque, uma linda cachoeira fazendo um barulhão danado, sendo que depois, suas águas vinham descansarem logo abaixo, naquele  grande tanque, muito fundo pelo azul de suas águas, poderíamos saber de tratar de um tanque muito fundo. Em pouco tempo, já as cacharas davam suas caras, eram fisgadas seguidas trazendo aqueles peixões de mais de doze quilos. Naquele tanque, fazíamos nossas pescarias matinais, sendo que a tarde pescávamos perto das barracas mesmo.Como era boa a companhia do velho mestre, sua experiência, engrandecia nossos passeio, pois o velho conhecia mesmo uma pescaria. Sabia de tudo, onde achar os grandes peixes, as iscas a serem usadas e até a hora certa de boas fisgadas.Foram dias maravilhosos, aqueles inesquecíveis dias…

PESCANDO NO RIO DAS MORTES

francelinocardosojr@hotmail.com