Destaque »

AAL comemora 53 anos e escritora Wilma Cunha recebe Comenda Literária

19 de Maio de 2018 – 0:36 |

A noite da última terça-feira, dia 15 de maio de 2018, foi de comemoração  e homenagem, para os membros da  AAL – Academia Araxaense …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home »

Os 50 anos de uma jóia do cinema

‘A Bela da Tarde – La Belle de Jour’ –  1967 – 2.017

Por Francisco José Géa

 

Um dos maiores clássicos do cinema , considerado uma verrdadeira jóia do cinema mundial, é semdúvida alguma o grande clássico docinema francês que este ano está comemorando 50 anos do seu lançamento, cujo título é ‘ A BELA DA TARDE’,  sendo que este filme, na época do seu lançamento, levou multidões para  os cinemas, de todo mundo, a fim de conhecer aquela obra prima do grande diretor Luis Bunuel, que foi um exímio cineasta.

O FILME

Lançado em 1967, causou enorme polêmica, em virtude de que o mesmo, contava uma história inusitada ( para aqueles tempos), sendo que o mesmo foi considerado como um filme ‘ pornográfico’, sendo que ele não mostrava nenhuma cena de nudismo ou de sexo explícito, apenas sugeria tudo, com muita classe, por intermédio do seu grande diretor.

O ENREDO

Relata-nos a história de uma esposa burguesa, muito bonita, de um médico de alta sociedade parisiense, que talvez, por ser frígida sexualmente e por não se dar muito bem com o marido, que é um médico conceituado, em Paris, ela resolve se prostituir, frequentemente num bordel de alta classe, todas as tardes, levando assim uma vida dupla, de uma madame da alta sociedade e de uma prostituta lindíssima, disputada por vários clientes  daquele bordel. Sendo que tudo estava dando certo, até que umdia ela conhece um cliente amalucado e marginal, ao mesmo tempo, pondo tudo a perder ao lado deste marginal, até que a mesma venha ser descoberta por todos, inclusive pelo seu marido. Mas o final deste drama, é super diferente de tudo que o cinema já havia mostrado, deixando aí para os especatdores uma textura onírica, sedutora e surpreendente, como o cinema em toda a sua história jamais havia mostrado.

PREMIOS

‘A BELA DA TARDE’ ganhou os premios de como o melhor filme do Festival de Veneza, do ano de 1967 e o diretor Luis Bunuel como melhor diretor do Festival. Também levou o premio de Leão de Ouro daquele Festival, como o melhor roteiro do ano.

FICHA TÉCNICA

Título original : La Belle de Jour – A vela da Tarde

Ano : 1967

Cor: Eastmacolor

País: de origem: Produção francesa

Diretor: Luis Bunel

Produção: Henry Baum e Raymond Hakin

Roteiro: Luisacha Vierny, Bunuel, Jean Claude Carriere e Joseph Kessel

Fotografia:   Sacha Vierny

Elenco: Catherine Deneuve, Jean Sorel, Michel Picoli, Genevierve Page, Pierre Clementi, Francisco Rabal, Macha Merril, George Marshal, Francis Blanche, Maria latour, Claude Cerval e Marcel Charney.

 

OUTROS GRANDES SUCESSOS DO ANO DE 1967

Ao lado da grande e inesquecível ‘A Bela da Tarde’, durenta o ano de 1967, também fizeram muito sucesso e agradaram demais as seguintes e grandes produções, que fizeram sucesso no cinema e que foram entre alguns:

‘Um homem, uma mulher’, de  Claude Leloch, com Anouke Aimee e Jean Claude Brialy.

‘No silêncio da noite’: com Rod Steiger  e Sidney Poittier

Bonnie e Clyde – Uma Rajada de Bala- com Dustin Hoffman e Faye Dunnaway

‘A Primeira noite de um homem’:  com Dustin Hoffman

‘Os doze condenados’:  com Lee Marvin

‘Duas Garotas Românticas’:  com a lindíssima Catherine Deneuve

‘O Samurai’:  com Alain Delon

‘Hombre’:  com Paul Newmann

E a obra-prima do cinema nacional intitulada de ‘ Terra em Transe’, um clássico do diretot Glauber Rocha.

FINAL

Realmente o ano de 1967 foi um ano de grandes realizações cinematográficas, e que este anoestá comemorando  ‘Os 50 anos’ daqueles lançamentos,  ressaltando que o filme ‘ A Bela da Tarde’, é provavlemente o último grande filme sobre sexo dos anos 60 a ntes de terem uma maior permissividade para os filmes que mostram filmes de esxo ( mais explicitos) á partir dos anos 70, onde a censura ficou mais branda, coisa que é do conhecimento de todos que entendem de filmes e de cinema.

Fim

Francisco Géa