Destaque »

Araxá Esporte vence Ponte Nova e segue com 100% de aproveitamento na Segundona

20 de agosto de 2018 – 17:35 |

Jogando mais uma vez longe da torcida alvinegra, por causa do veto da Federação Mineira de Futebol, ao estádio Fausto Alvim, o time do Araxá Esporte Clube, venceu de novo no Campeonato Mineiro da …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home »

“O ENCANTAMENTO E A MAGIA DAS TRILHAS SONORAS DOS FILMES”

 

  Todos nós gostamos de cinema, sendo uma realidade o encantamento que envolve a todos quando assistimos a um filme, quando o mesmo é emoldurado e acompanhado por uma lindíssima trilha sonora musical.

Sendo que a música de um filme possui uma espécie de magia, que é um misto de criação e de uma tecnologia, que até possa passar despercebida, mas ela sempre fica na memória e nos ouvidos, principalmente para aquelas pessoas mais sensíveis com a arte e com a música e principalmente para quem é um assíduo frequentador de cinemas.

O grande compositor e arranjador húngaro MIKLOS ROSZA, que teve mais de 50 anos como arranjador de temas musicais para o cinema americano, sendo que ele foi o responsável por diversas e memórias trilhas sonoras de muitos filmes, principalmente para o ótimo “BEN-HUR”,

Premiado por 11 Oscars em 1959, sempre que podia, ele tinha o costume de assistir o lançamento de um novo filme, misturado com a plateia, logo no dia da estreia, para que o mesmo pudesse acompanhar a reação dos espectadores com a música que acompanhava o filme, onde o mesmo atentamente fazia uma pesquisa particular, onde o mesmo perguntava para os espectadores: “O que você achou da música deste filme?” E se a maioria das pessoas respondessem, que achou a música razoável ou que “nem cheguei a prestar muita atenção, então o maestro MIKLOS ROSZA ficava muito feliz, pois ele então já podia comemorar o seu sucesso, pois ele dizia que as pessoas não percebem de cara a trilha sonora de um filme, sendo que esta informação é de que a música é muito boa e de que ela está sincronizada perfeitamente com o enredo do filme , dizia ele, que a coisa funcionava desta maneira.

Em um filme, dizem os entendidos que a música e a imagem devem estar atreladas, integradas e sincronizadas com o filme e com a história que está sendo contada, senão a coisa não funciona bem.

“FILMES RUINS COM MÚSICA BOA”

Entretanto, existem alguns filmes em que a trilha sonora é muito melhor que o filme, são películas em que a trilha sonora é melhor e se sobressai mais, onde temos exemplos de filmes que são as películas “9 SEMANAS E MEIA DE AMOR” e “DIRTHY DANCING”, onde as trilhas agradaram muito mais que estes dois filmes.

Nestas produções, as trilhas eram muito boas, de altíssima qualidade, onde existem alguns diretores que são bem astutos, onde os mesmos usam umas música já conhecida e bem consagrada para emoldurar o seu filme, que foi o caso do diretor francês CLAUDE LELOUCH, que no seu filme “RETRATOS DA VIDA”, usou e abusou da melhor música francesa, utilizando o que de melhor havia daquele pais, com magníficos arranjos musicais dos consagrados maestros FRANCIS LAI e MICHEL LEGRAND, sendo que este filem ficou eternizado e comentado, unicamente por causa da sua trilha sonora.

Existem certas músicas de filmes que fazem com que os espectadores saiam das salas dos cinemas associando as melodias, e que logo são transformadas em produtos de consumo imediato, muito do que o próprio filme, que acabara de ser visto, e isto é uma tese defendida por muitos profissionais de “marketing” e propaganda.

Por outro lado, também existem diretores (pouquíssimos), que abominam músicas em seus filmes, é raríssimo, mas existem como no caso do diretor sueco INGMAR BERGMAN, um gênio do cinema, que nunca usou música em seus filmes, dizia ele que o silêncio fazia parte de acompanhar os planos longos das cenas de seus filmes, cada louco com a sua mania…

 

 

“ALGUMAS MARAVILHOSAS E INESQUECIVEIS TRILHAS SONORAS”

 

Título do FilmeTrilha SonoraDiretor do Filme

OS CAÇADORES DA ARCA PERDIDA JOHN WILLIANS STEVEN SPIELBERG

GUERRA NAS ESTRELAS JOHN WILLIANS GEORGE LUKAS

A PANTERA COR DE ROSAHENRY MANCINIBLAKE EDWARDS

CABARET JOHN KANDER E FRED EBBBOB FOSSE

UM CORPO QUE CAI BERNARD HERMANNALFRED HITCHCOCK

OS BRUTOS TAMBÉM AMAM VICTOR YOUNGGEORGE STEVENS

SETE HOMENS SEM DESTINO BERNARD BERSTEINJOHN STURGES

MÚSICA E LÁGRIMAS GLEN MILLER ANTHONY MANN

A PONTE DO RIO KWAIMALCON ARNOLDDAVID LEAN

DIRTY DANCINGJOHN MORRISEMILE ARDOLINO

LAWRENCE DA ARÁBIAMAURICE JARREDAVID LEAN

MELODIA IMORTALMORRIS STOLOFFGEORGE SIDNEY

E O VENTO LEVOUJOHN STEINERVICTOR FLEMING

O VELUDO AZULBERNIE KANDER E FRED EBBDAVID LYNCH

RUAS DE FOGO RY COODERWALTER HILL

 

Nada é mais prazeroso do que a gente assistir a um bom filme, entretanto o prazer se torna ainda maior, quando este bom filme é acompanhado de uma linda e inesquecível trilha sonora musical, disto tenho a mais absoluta certeza, podes crer. Mesmo quando o fascínio de cada melodia é diferente, muda de pessoa para a pessoa, mas o sentimento é o mesmo.

 

“CONCLUSÃO”

A realização deste trabalho, teve como fonte de inspiração, o que foi a magnifica e primeira apresentação da ORQUESTRA SINFONICA DE ARAXÁ, que teve como palco o TEATRO MUNICIPAL, fato acontecido no ultimo dia 30 de maio, que teve a batuta do maestro PROFESSOR ROBSON, onde a mesma, para o agrado e delírio da plateia executou somente temas musicais e trilhas sonoras dos grandes filmes, lembrando que a ORQUESTRA SINFÔNICA DE ARAXÁ, é parte integrante da ESCOLA MUNICIPAL DE MÚSICA MAESTRO ELIAS PORFIRIODE AZEVEDO.

 

“DEDICATÓRIA”

Este trabalho é inteiramente dedicado a jovem ANA ALICE RIBEIRO GOMES, filha dos amigos WALTER GOMES e MARIA SEBASTIANA RIBEIRO GOMES, lembrando que ela, ANA ALICE, é uma das mais novas integrantes da orquestra sinfônica, tem apenas 11 anos de idade.

(Fim)

FRANCISCO JOSÉ GÉA