Destaque »

Em noite de autógrafos, Dr. Renato Zupo lança ‘Inteligência Prática’, em Araxá

14 de agosto de 2018 – 16:29 |

A noite do último dia 09 de agosto de 2018, foi especial e de lançamento do quarto livro do juiz-escrtior araxaense, Dr. Renato Zouain Zupo. O palco da prestigiada noite de …

Leia mais »
Esporte
Cultura
Turismo
Meio Ambiente
Responsabilidade social
Home »

Eternos ídolos da música: Gregório Barrios – O rei do boleiro

Por Francisco José Géa

Apresentação:

O bolero não pede a sua beleza e nem o seu pique, enfrentou no decorrer dos anos os constantes  modismos, mas com a sua força romântica, ele ainda é imbatível. Venceu muitos obstáculos de diversas gerações e o gosto daquelas pessoas que gostam de transformações, que são os modernistas. Mas este rítmo musical superou tudo isto e até hoje é executado com um enorme  agrado de todos que gostam de música bonita e romântica.  E um dos seus maiores representantes, em todo o mundo, foi  este cantor, que conseguiu encantar muitas gerações, com sua voz e com a sua música, sendo que ele foi considerado o ‘ Rei do Bolero’ ou ‘O Tenor das Américas’, seu nome era de Gregório Barrios’, e por tudo isto e muito mais este trabalho é dedicado para todos que gostam e curtem este estilo de música e que certamente ele, irá despertar mais atenção da turma da velha guarda, ou seja de quem já passou dos sessenta anos de idade. Por isto faço a sugestão para os mais jovens que os mesmos pesquisem e ouçam, pela Internet, um pouco da música maravilhosa de Gregório Barrios, que certamente não ficarão decepcionados, muito pelo contrário, tenho certeza que ficarão encantados.

Origem e início:

Gregório Barrios Villabriga, seu verdadeiro nome, nasceu em Bilbao, na Espanha, em julho de 1911, sendo ele filho de uma família humilde, que foi obrigada a emigrar para a Argentina, porque o seu pai era socialista e estava sofrendo perseguições políticas. A sua vida profissional começou em uma empresa de pavimentação asfáltica, em Buenos Aires, sendo que nas horas vagas, ele vivia cantarolando e muito elogiado pelos companheiros, acabou decidindo fazer  um curso de canto.  Foram 15 anos de aulas, com ótimos professores, do Teatro Colón, de Buenos Aires,  e  não demorou muito ser levado para o rádio. Começou no ano de 1938, Rádio Callao, de Buenos Aires. No início cantava trechos de ópera, e alguns tangos, entretanto ele se encantou e empolgou-se por uma música mexicana, um rítmo romântico , que havia alcançado diversos outros países daAmérica  que se chamava de ‘ bolero’ e a partir de então definiu-se pelo bolero, vindo a assinar um lonfo contrato com a Rádio Mundo de Buenos Aires, onde desfilou muitos dos seus sucessos, deixando para a posteridade uma herança de uma formidável discografia de 125 discos de 78 rpm e 43 discos de vinil ( LPs), que com estas qualidades que permitiram a Gregório Barrios a ganhar o título de ‘ O  Rei do Bolero’, numa consagração de extensão intenacional.

No Brasil:

Foi aqui que ele deslanchou a sua brilhante carreira, no ano de 1944, quando ele cumpriu uma temporada de shows nos famosos cassinos do Hotel Quitandinha em  Petrópolis ( RJ) e Atlântico Copacabana. Gostou tanto do Brasil, que resolveu mudar-se  para a cidade do Rio de Janeiro, no bairro de Copacabana, chegando até se casar no Brasil vom Carmém Jensen, que fora eleita Miss Santa Catarina  e depois Miss Brasil.

Canções Históricas:

A maioria dos seus discos foi gravada e prensada pelas gravadoras Continental e Odeon e dentre  os seus mais  bonitos boleros e que ficaram registrados como canções históricas, pela qualidade das mesmas  e pelas suas encantadoras interpretações, arranjos e orquestrações, as melhores e que ficaram para a popsteridade foram:

  • Solamente uma vez
  • Perfidia
  • Alma Lianera
  • Becha Mucho
  • Angustia
  • Vereda Tropical
  • Amor
  • Dos Almas
  • Oracion Caribe
  • Quizas, Quizas, Quizas
  • Maria Bonita
  • La Barca
  • Hipócrita
  • Sabor a Mi
  • Pecadora
  • Siboney
  • Luna Lunera
  • Frenezi
  • Adios Mariquita Linda
  • Nosotros

O seu final:

Após residir no Brasil e percorrer quase todo o país realizando shows, veio a falecer de infarte do  miocárdio, na cidade de São Paulo, onde passou a residir. No dia 18 de dezembro de 1978, com a idade de 67 anos de idade, deixando uma filha de nome Carmém Patrícia.

Aconteceu há 60 anos

Foi exatamente no dia 2 de julho de 1957, que Gregório Barrios, se apresentou em minha terra, na cidade de Formiga ( MG), proporcionando uym inesquecível show, que teve como palco o salão do antigo Cine Teatro Glória.Um espetáculo que assisti  ao lado de meu pai Geraldo, que era um ardoso fã de Gregório Barrios, e que foi um encantamento para todos. E como sou um saudosista de marca maior, mesmo tendo passado e completando 60 anos daquele acontecimento, que ficou registradi na memória de um menino, quando eu contava apenas 14 anos de idade, e que para mim, foi inesquecível toda a emoção de assistir aquele show, que foi uma feliz iniciativa dos proprietários da Rádio Difusora Formiguense – ZYB -¨, que eram os senhores Franlim de Carvalho, Estácio Vieira, Antônio de Souza e Leão da Silva. Realmente foi mesmo inesquecível de ver, conhecer e ouvir uma das vozes mais bonitas do mundo, que foi a de Gregório Barrios, também conhecido como o ‘ Rei do Bolero’.

Fim – Francisco José Géa

Dedicatória

Este trabalho é dedicado aoamigo jornalista e comerciante Gilson Vieira, filho do grande Estácio Vieira, que foi uma das pessoas responsáveis pela vinda e a apresentação do magnífico ‘Gregório Barrios’, na cidade de Formiga, naquele longíncuo ano de 1957, fato que se comemorou 60 anos daquele show musical e que foi no dia 2 de julho de 1957.